sábado, 17 de maio de 2014

Do vinho à cerveja: assim nasceu a Schatz Blond

> Visual epistolar do rótulo remete à ideia de
autoria, com símbolos de carimbo postal,
lacre de cera e tipografia especial
> Taça exclusiva de cerâmica
para manter a temperatura ideal
Uma cerveja feita à mão. Esta é a Schatz Blond, o primeiro lançamento da Petronius Cervejaria & Destilaria, projeto idealizado por Emílio Kunz Neto e seus dois filhos, Augusto e Júlio César, para resgatar a história das seis gerações de produtores de bebidas no Brasil. Para elaborar “Das authentische Bier” (a cerveja autêntica), Emílio e Augusto contaram com a consultoria de um dos mestres cervejeiros mais reconhecidos da América Latina, José Gonçalves Antunes. Coordenador do único curso de mestre cervejeiro do Brasil em Vassouras (RJ), ele acompanhou o desenvolvimento da receita e do processo de elaboração da primeira cerveja da linha Schatz: uma autêntica Blond Ale da escola belga. “Encorpada e com aromas frutados, é uma cerveja diferenciada, que irá agradar os paladares mais exigentes”, afirma Emílio Kunz Neto, que seguiu a Lei de Pureza da Cerveja de 1516 para elaborar este rótulo, ou seja, só utilizou água pura, malte, lúpulo e fermento.

Cada detalhe foi escolhido cuidadosamente, como pede um produto artesanal. Engenheiro químico por formação, Emílio Kunz Neto projetou uma taça exclusiva para degustar a sua cerveja. “Criamos esta taça especialmente para os nossos clientes apreciarem o que a Schatz Blond tem de melhor”, comenta, destacando que a escolha do material, em cerâmica, foi feita para garantir que a temperatura da cerveja se mantenha durante a degustação.

A autoria e originalidade presentes nesta “cerveja de verdade” (como são conhecidas as brejas especiais) remetem à história da família Kunz no Brasil. Na sua primeira linha de cervejas, a Schatz traz como proposta uma linha visual epistolar na embalagem e nos materiais de comunicação: elementos de cartas, tais como carimbo postal, cartões postais, lacre em cera, tipografia e a assinatura do cervejeiro Emílio Kunz Neto. “Queremos conversar com os nossos amigos através dos nossos produtos, por isso fiz questão de explicar cada decisão que tomamos com todo o cuidado para entregar uma cerveja verdadeiramente especial aos nossos clientes”, observa o diretor da Petronius.

A ponte com a história da família se dá explicitamente na marca Schatz, que era usada por Eloy Kunz (pai de Emílio Kunz Neto) para assinar um de seus vinhos – o Riesling. O formato da garrafa da cerveja remete ao formato da garrafa que ele usava no vinho. “É uma forma de respeitar a nossa história e homenagear a sua memória”, conta Emílio. Num de cartões postais usados na divulgação da nova cerveja está reproduzido um texto literário de Eloy Kunz. “Nos nossos anúncios e materiais promocionais, não utilizamos fotos do produto, mas uma ilustração que faz uma releitura de um catálogo antigo do vinho”, comenta Júlio César Kunz, responsável pelo marketing da empresa. Prost!

> Os Kunz: Augusto, Emílio e Júlio resgatam a história da família tradicionalmente ligada à produção de bebidas

Nenhum comentário:

Postar um comentário