sexta-feira, 2 de maio de 2014

Bodega Garzón: luxo, modernidade e modelo de enoturismo em Maldonado

> Turistas são recebidos na bela e moderna planta butique de azeite de oliva extra virgem
> Toscana uruguaia: parcelas de vinhedos são
milimétricas, com no máximo meio hectare de área
A expansão da vitivinicultura no Departamento de Maldonado, na Costa Sul do Uruguai, ganhou reforço em 2007, com a implantação de vinhedos pelo Grupo Agroland. Nascia a Bodega Garzón, cuja vinícola ainda está em construção e, portanto, fechada para visitas. Os turistas são recebidos na belíssima e moderna planta butique de azeita de oliva extra virgem Colinas de Garzón, um projeto dos famosos arquitetos Bórmida & Yanzón, de Mendoza, na Argentina. 

O incremento na produção vitivinícola da região ganhou musculatura com o plantio de 240 hectares pelo argentino Alejandro Bulgheroni, proprietário da Bodega Garzón. Com investimentos pesados, em pouco tempo ele se tornou referência na recepção de turistas no Uruguai. 

A visita à planta de azeite de oliva extra virgem (todos com 0,2% de acidez) começa com a exibição de um filme de sete minutos no cinema do local. Depois, de maneira interativa e com o uso de recursos audiovisuais, é apresentado todo o processo de recebimento das azeitonas e produção do azeite. 
> Moderno cinema exibe vídeo sobre a produção local

Em seguida, é possível escolher entre diversas atrações, como visitas guiadas com trator, voo de balão, passeio de bicicleta, piquenique nas oliveiras ou ao pôr do sol. As atividades são pensadas para toda a família. Enquanto os adultos degustam azeites de oliva e vinhos, por exemplo, as crianças desenham ou pintam garrafas, além de receberem refrescos, pães, queijos, amêndoas e bolachas. 

O tour pelas oliveiras e pelos vinhedos remete à Toscana, na Itália. As parcelas de vinhedos não têm mais do que meio hectare, permitindo um manejo específico para cada uma, e são escoltadas por árvores, palmeiras e arbustos. As colinas em série – que ganharam o título de melhor paisagem olivícola do mundo em 2013, na Itália – foram uma vista esplêndida e panorâmica da região, pouquíssimo povoada. É um refúgio perfeito para quem procura o Uruguai natural, rural, que parece ter parado no tempo. 


Com a consultoria do conceituado enólogo Alberto Antonini, a Bodega Gazón implantou, há apenas cinco anos, vinhedos de Tannat, Merlot, Cabernet Franc, Marselan, Pinot Noir, Caladoc, Petit Verdot, Alvarinho, Viognier, Sauvigon Blanc, Pinot Grigio e Petit Manseng. 

Nas suas primeiras safras, o Reserva Tannat é um excelente cartão de visita da vinícola, que tem conseguido bons resultados também com os brancos Alvarinho e Viognier. O primeiro Pinot Noir também surpreende pela qualidade. 


> Crianças recebem atenção especial: enquanto os adultos degustam azeites de oliva e vinhos, as crianças desenham ou pintam garrafas, além de receberem refrescos, pães, queijos, amêndoas e bolachas
Depois da estada na Bodega Garzón, vale um passeio pela região – um recanto glamouroso no meio do nada. Apesar de quase deserto, Pueblo Garzon, com apenas 600 habitantes, atrai sobretudo turistas de cruzeiros que ancoram em Punta del Este ou veranistas em busca de aventura ou simplesmente de uma troca de ares. 

A paisagem aparentemente abandonada abriga, desde 2004, um hotel-restaurante de Francis Mallmann, o chef mais famoso da Argentina. A “cidade fantasma” é reduto de artistas, especialmente designers com trabalhos expostos na loja Alium. É possível almoçar no restaurante Lucifer e depois conhecer a antiga estação de trem desativada há cerca de 50 anos. 


> Degustação top de azeites, pães, azeitonas, queijos, amêndoas e vinhos (abaixo e acima)




> Piquenique nas colinas da Garzón é um dos atrativos para os visitantes (acima), como o passeio de trator (abaixo)

> Imponente projeto é dos famosos arquitetos Bórmida & Yanzón, de Mendoza, na Argentina

> O colorido dos vinhedos no outono encanta os turistas da Bodega Garzón, próxima a Punta del Este

Nenhum comentário:

Postar um comentário