sábado, 30 de novembro de 2013

Vinhos portugueses são o destaque do ano

> Para todos os gostos: as
regiões vitivinícolas de Portugal
Se os vinhos espanhóis foram a grande surpresa do ano passado, 2013 ficará marcado pelos bons vinhos portugueses que descobri. Sim, descobri porque a maioria deles nunca havia sorvido sequer um gole. Em eventos das regiões do Tejo e Trás-os-Montes, em Belo Horizonte, Recife e Rio de Janeiro, pude perceber o que, de fato, quer dizer o chavão "custo-benefício". Encontrei grandes vinhos por preços muito baixos. E descobri que os vinhos portugueses ainda têm muito a mostrar - além das tradicionais regiões do Alentejo, Dão, Porto, Bairrada, entre outras.

Pois agora, Porto Alegre e Brasília receberão degustações gratuitas de vinhos portugueses de uma região igualmente pouco conhecida no Brasil - a Beira Interior. Os eventos são voltados prioritariamente a profissionais (compradores, distribuidores, sommeliers, donos de bares e restaurantes), jornalistas e formadores de opinião, assim como enófilos da Sociedade Brasileira de Amigos do Vinho (Sbav) e da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS).

Na capital gaúcha, a degustação será nesta segunda-feira (dia 2 de dezembro), das 16h às 20h, no Hotel Laghetto Viverone Moinhos (Rua Dr. Vale, 579, Moinhos de Vento). A presença dos convidados deve ser confirmada pelo e-mail beirainteriorpoa@gmail.com. Já na capital federal, o evento será na Embaixada de Portugal em Brasília (Avenida das Nações, Quadra 801 – Lote 2), com a presença do embaixador Francisco Ribeiro Telles, na quinta-feira, dia 5 de dezembro, das 16h às 20h30. Interessados devem confirmar presença pelo e-mail beirainteriorbrasilia@gmail.com.

Cinco produtores portugueses – Adega da Covilhã, Adega do Fundão, Quinta dos Currais, Quinta dos Termos e 2.5 Vinhos de Belmonte – farão a apresentação de seus rótulos. Eles virão mostrar seus vinhos e espumantes da Beira Interior, a mais alta região de Portugal, berço da produção vitivinícola na época da ocupação dos romanos e desenvolvida a partir do século XII pelos monges de Cister. Situada no centro do país, entre o Rio Douro a norte e o Rio Tejo a sul, a Beira Interior faz fronteira com a Espanha e tem cerca de 16.000 hectares de vinhedos plantados. 

Os vinhos da Beira Interior têm o frescor das montanhas, que formam uma paisagem selvagem e atraente cada vez mais visitada por turistas de todo o mundo em busca de uma incrível diversidade de paisagens, com serras, aldeias históricas, áreas arqueológicas, castelos, monumentos, igrejas, solares, além de muitos vinhedos.

> Beira Interior: a mais antiga e a mais alta região de Portugal manda cinco produtores ao Brasil
A altitude de 400 a 700 metros, aliada ao clima mediterrâneo, com verões muito quentes e inverno rigoroso (com neve), resulta em vinhos muito aromáticos e com uma pronunciada acidez. “A região reúne boas condições para a produção de brancos frescos e aromáticos e tintos frutados e encorpados”, afirma João Carvalho, presidente da CVRBI.

Os solos da região são de origem granítica e xistosa, fruto do relevo acidentado e montanhoso da região. As vinícolas cooperativas elaboram quase todo o vinho da região, que têm apostado a internacionalização dos seus vinhos, incentivando a aparição de pequenos e médios produtores. A exportação já alcança aproximadamente 30 países. São mais de 500 mil garrafas, compradas especialmente por Estados Unidos, Canadá, Brasil e Angola.

A Beira Interior está dentro de uma denominação genérica chamada Beiras, subdividida em outras duas regiões Beira Alta (o tradicional Dão) e a Beira Litoral (Bairrada). As castas tintas mais cultivadas na Denominação de Origem da Beira Interior, criada em 1999, unindo as regiões de Castelo Rodrigo, Cova da Beira e Pinhel, são a Tinta Roriz, Bastardo, Marufo, Rufete e Touriga Nacional. As castas brancas com maior expressão na região são a Síria, Malvasia Fina, Arinto e Rabo de Ovelha.

Agora, se você está em Porto Alegre ou em Brasília, é pegar a taça e apreciar os rótulos da Beira Interior. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário