segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Aurora, Casa Madeira, Weber Haus e Routhier e Darricarrère mostram qualidade dentro e fora da embalagem

A apresentação de qualquer produto é a chave do sucesso. O consumidor age por impulso e o aspecto visual é decisivo na sua decisão de compra. Quatro empresas gaúchas – Aurora, Casa Madeira,  Routhier e Darricarrère e a Cachaçaria Weber Haus – tiveram grande destaque no Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira, o reconhecimento mais valioso que uma marca pode receber no país em relação à qualidade, tecnologia, design, funcionalidade e inovação. As três primeiras firmas ganharam medalha de ouro e a última ficou, injustamente, com bronze, pois merecia um ouro.
> Nova garrafa de
suco da Casa Madeira

A Casa Madeira conquistou a Medalha de Ouro na Categoria Embalagens de Bebidas não Alcoólicas com o novo design do seu suco de uva integral. “Despertar o desejo de consumir um produto de qualidade também é função de uma bela embalagem. Atingir essa meta e ainda receber um prêmio reafirma a qualidade de nosso trabalho”, destaca o presidente da empresa, Juarez Valduga. De fato, a nova garrafa com design único é um marco no setor vitivinícola brasileiro. A embalagem tem o poder de dar status a esta categoria, cada vez mais percebida com valor agregado de saúde pelo consumidor. A nova garrafa – que lembra as embalagens de perfumes – só reforça a superioridade do suco 100% natural e integral frente a seus concorrentes com menos presença de fruta (néctares).

> Caixa do ReD é usada para o transporte das garrafas
e também serve de expositor no ponto de vendas
A caixa de vinho em formato de Kombi garantiu ouro à Vinícola Routhier e Darricarrère. O ReD conquistou o 1º lugar na categoria voto popular profissionais. A diretora de marketing, a publicitária Gabriela Puhl Darricarrère, explica que o grande desafio para esta criação foi desenvolver uma embalagem inovadora que atraísse um público mais jovem, porém sem afastar os consumidores mais tradicionais da marca. “Para isso, foram idealizados em conjunto o rótulo e a caixa expositora, baseados na história dos fundadores da vinícola”, conta. A caixa do ReD é utilizada para o transporte das garrafas e também serve de expositor no ponto de vendas. Além disso, em uma época de lei seca, a embalagem enfatiza a ideia de segurança no trânsito com a frase: “se beber, vá de carona”.

> Linha de vinhos foi pensada para o mercado externo
A novidade dessa edição do Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira, realizado há 13 anos, foi o lançamento do Módulo Competitividade Internacional que premiou as melhores embalagens produzidas no Brasil para serem comercializadas no mercado externo. A vencedora foi a Cooperativa Vinícola Aurora, que ganhou ouro com o projeto “Brazilian Soul”, já inseridos nos mercados da Alemanha e do Reino Unido e que estão sendo lançados na Bélgica e Luxemburgo. A embalagem tem a assinatura das empresas Owens-Illinois (garrafa), Brazicolor (rótulo) e Trombini Embalagens.

> A cachaça mais cara do Brasil
A Weber Haus ganhou bronze com a garrafa da sua cachaça ícone. A Lote 48 Weber Haus 12 anos Extra Premium foi lançada no início do ano com um lote de apenas 2 mil unidades. É uma cachaça única, a mais cara do Brasil, com preço que chega a quase R$ 2.700,00. Isso porque a “Ferrari” da Weber Haus é comercializada em escala de raridade. A unidade 1999 foi vendida a R$ 701. A partir daí, o preço aumenta em R$ 1 a cada garrafa numerada em ordem decrescente, até atingir R$ 2.699, na de número 0002, também já comercializada. A garrafa 0001 será leiloada, enquanto a de número 2000 ficará para sempre no acervo da empresa. 

O melhor é que todos os produtos citados acima não se destacam apenas pela forma. Eles têm conteúdo. É tudo que o consumidor quer – qualidade dentro e fora das embalagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário