quarta-feira, 2 de outubro de 2013

21ª Avaliação Nacional de Vinhos revela surgimento de uvas exóticas de qualidade no Brasil

> Avaliação Nacional de Vinhos reuniu 850 apreciadores da Bebida de Baco
A safra de uvas 2013 no Brasil trará novidade na taça dos consumidores: rótulos com uvas exóticas, além das tradicionais Chardonnay, Merlot, Cabernet Sauvignon e Tannat, as quatro variedades que, somadas, respondem por quase 50% do cultivo no país. A lista de 16 melhores vinhos escolhidos entre 309 amostras inscritas para a 21ª Avaliação Nacional de Vinhos realizada pela Associação Brasileira de Enologia (ABE) revelou, no último sábado (28), em Bento Gonçalves (RS), o bom desempenho de cepas incomuns como Teroldego, Marselan, Cabernet Franc e Sauvignon Blanc. A Cabernet Sauvignon teve só uma amostra eleita entre as 16 melhores da safra 2013. E a Merlot, uva emblemática do Vale dos Vinhedos, teve dois rótulos selecionados. A tradicional Tannat, que teve duas amostras escolhidas em 2012, ficou de fora da seleção das melhores amostras de vinhos na safra deste ano.

Até mesmo as bases de espumantes, que em geral tem a prevalência da Chardonnay, surpreenderam este ano, com uma amostra de 100% Pinot Noir (Geisse) e outra um assemblage de Riesling Itálico/Chardonnay/Pinot Noir (Chandon). A única 100% Chardonnay é da Casa Valduga. A categoria Branco Fino Seco Aromático, dominada nos últimos quatro anos pela uva Moscato, teve agora a eleição da emergente Sauvignon Blanc (Miolo). 

“O resultado demonstra o que foi a safra de uva 2013, muito favorável aos vinhos brancos e tintos de uvas precoces”, afirma o presidente da ABE, o enólogo Luciano Vian. Para ele, o surgimento de uvas exóticas entre as melhores da safra se deve ao investimento feito nos últimos anos pelas vinícolas em busca de alternativas e também ao conhecimento do terroir específico de cada região.

Análise dos resultados

Entre as vinícolas, a grande campeã da 21ª Avaliação Nacional de Vinhos foi a Vinícola Perini. A empresa do Vale Trentino, em Farroupilha, na Serra Gaúcha, teve 16 amostras selecionadas entre as 30% mais representativas do Brasil na safra 2013. As duas outras vinícolas que ficaram em segundo lugar – Aurora e Salton – ficaram a cinco taças de distância, com 11 rótulos. A novidade desta edição foi estreia da Vinícola Monte Rosário, de Faria Lemos, entre os 16 melhores vinhos de 2013, com o seu Teroldego.

A Vinícola Almaúnica figurou entre as melhores amostras com uma uva símbolo dos argentinos – a Malbec. Cultivada lá na Campanha Gaúcha, a uva Cabernet Franc garantiu a presença da Salton na lista dos melhores. Outra surpresa foi a amostra de Cabernet Sauvignon, que veio dos Campos de Cima da Serra, da Vinícola Rasip Agropastoril. A Bueno Bellavista Estate, do narrador Galvão Bueno, teve um Merlot na seleção dos top 16.

> Provei os 16 vinhos ao lado da Viviane Taguchi
(repórter da Globo Rural) e da Annamaria Aglio
(editora da Revista A, da Ana Maria Braga)
A Góes & Venturini, de Flores da Cunha, teve uma amostra de Chardonnay eleita pela 5ª vez consecutiva entre os 16 melhores da safra. O feito foi repetido ainda, com a mesma uva, em 2007.

A Cooperativa Vinícola Nova Aliança foi tricampeã com o seu Chardonnay Branco Fino Seco Aromático.

A Don Guerino teve o mesmo sucesso de 2012 com o seu Teroldego. A Marselan repetiu a dose do ano passado, com uma amostra entre as 16 melhores, só que desta vez veio da Vinícola Dom Cândido, ao invés da Casa Valduga. 

A Avaliação Nacional de Vinhos é o maior evento do gênero no mundo. Ao todo, foram avaliadas 309 amostras inscritas por 63 vinícolas de seis estados. No ano passado participaram 70 empresas de sete estados, totalizando 387 amostras inscritas em 2012. Nas suas 21 edições, 4.832 amostras foram avaliadas e 13 mil pessoas testemunharam o momento maior do vinho brasileiro. 

Desde 1993, quando foi criada pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), o evento exerce forte influência na evolução da produção nacional e na promoção do vinho junto ao mercado consumidor, atraindo olhares do mundo todo. A 21ª edição esgotou os ingressos em apenas duas horas. O privilégio de viver essa experiência coube a apreciadores de 13 estados brasileiros, além do Distrito Federal, e de oito países (Alemanha, Austrália, Brasil, Chile, Cuba, Estados Unidos, Itália e Uruguai).

OS 16 VINHOS REPRESENTATIVOS DA SAFRA 2013

Categoria: Vinho Base Para Espumante


1. Vinho Base Espumante - Chardonnay - Casa Valduga Vinhos Finos
2. Vinho Base Espumante - Riesling Itálico / Chardonnay / Pinot Noir -
Chandon do Brasil
3. Vinho Base Espumante - Pinot Noir - Vinícola Geisse

Categoria: Branco Fino Seco Não Aromático

4. Riesling Itálico - Cooperativa Vinícola Aurora
5. Chardonnay - Cooperativa Vinícola Nova Aliança
6. Chardonnay - Luiz Argenta Vinhos Finos
7. Chardonnay - Vinícola Góes e Venturini

Categoria: Branco Fino Seco Aromático

8. Sauvignon Blanc - Vinícola Miolo

Categoria: Tinto Fino Seco Jovem

9. Cabernet Franc - Vinícola Salton

Categoria: Tinto Fino Seco


10. Merlot - Bueno Bellavista Estate
11. Cabernet Sauvignon - Rasip Agropastoril
12. Malbec - Vinícola Almaúnica
13. Marselan - Vinícola Dom Cândido
14. Teroldego - Vinícola Don Guerino
15. Teroldego - Vinícola Monte Rosário - Vinhos Rotava
16. Merlot - Vinícola Perini

3 comentários:

  1. http://donoleari.com/blog/2013/10/02/21a-avaliacao-nacional-de-vinhos-revela-surgimento-de-uvas-exoticas-de-qualidade-brasil-diagonal-coluna-oleari/

    Orestes, por sugestão do parceiro Rubens Pontes, outro doido por vinhos quinemquieu, "psicogarfei" seu texto e "fotogarfei" suas fotos pra dar um repeteco do seu belo informe no Portal Don Oleari Ponto Com - donoleari.com - muito chegado num vinhizim. Abração do Oleari e do Rubens e cumprimentos por seu belo trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Realmente as uvas mais tradicionais agora disputam com algumas menos conhecidas, mas igualmente bem adaptadas ao terroir do sul

    ResponderExcluir
  3. Fique à vontade Don Oleari! Obrigado pelo prestígio. Abraços e saúde! OAJ

    ResponderExcluir