domingo, 2 de junho de 2013

#cbe: Hambúrguer com Monte Paschoal Virtus (baby)

> Kashmir Burger com Monte Paschoal
Virtus Cabernet Sauvignon
O Dia Internacional do Hambúrguer – comemorado no último 28 de maio – foi diferente em Porto Alegre. Inspirado no SP Burger Fest realizado pela segunda vez em São Paulo (a estreia foi em dezembro do ano passado), a capital gaúcha viveu o seu 1º Poa Burger Fest, de 21 a 28 de maio. A iniciativa inédita e elogiável foi da Ovo Produtora de Conteúdo, responsável por reunir 18 bares e restaurantes porto-alegrenses, que incluíram em seus cardápios receitas inovadoras de hambúrguer, um dos pratos mais consagrados da gastronomia atual.

O patrocínio foi da Cervejaria Eisenbahn, que, inspirada no mundo do vinho, sugeriu harmonizações com cada um dos hambúrgueres. Pela falta de tempo, só consegui visitar um dos restaurantes participantes do evento – o Bife, uma novidade instalada em um casarão antigo na esquina das ruas Vasco da Gama e Miguel Tostes, no bairro Rio Branco. Fui lá por sugestão do sommelier e amigo Vinícius de Miranda Santiago, que ainda fez a gentileza de acompanhar eu e o Marcos Graciani após o 5º encontro da Confraria Bom Vin, na segunda (dia 27) passada, na Sommelier Vinhos.

Como estávamos no embalo da bebida de Baco, eu e o Graciani dispensamos a harmonização da Eisenbahn. O Vini também, mas seguiu na cerveja artesanal. O Graciani pediu uma garrafa baby (187ml) da Vinícola Marson. E eu saquei do carro uma garrafa baby Monte Paschoal Virtus Cabernet Sauvignon. Aproveitei para cumprir com a proposta do Cristiano Orlandi, que sugeriu uma atividade extra para a Confraria Brasileira de Enoblogs (#cbe), justamente uma harmonização de vinho com hambúrguer.

> Nova hamburgueria da capital gaúcha, o Bife
fica na esquina da Vasco com a Miguel Tostes
Pedi a sugestão do Bife para o Poa Burger Fest – o “Kashmir Burger”, R$ 26, uma homenagem da casa à clássica música do Led Zeppelin. O Burger é elaborado com pão cervejinha, queijo colonial e bacon premium (magro). Dispensei a salada, como de praxe. A combinação com o Virtus Cabernet Sauvignon funcionou bem. O vinho é frutado, tem acidez sobressalente, e sua estrutura média segurou bem o burger eleito. O final de boca foi rápido, exigindo logo uma nova mordida. Cumpriu bem a sua proposta de escoltar o hambúrguer.

Abro um parêntese. Cabe um comentário sobre este hambúrguer e outros ditos gourmets. Eles são gigantes e desengonçados. É imprescindível usar garfo e faca para evitar descolar a mandíbula! Algo no mínimo desconfortável para um lanche. Os franceses e americanos, por exemplo, não suportariam comer um hambúrguer com talhares. O ideal é usar as mãos, algo impossível na atual moda gourmet.  Fechado o parêntese.

As proprietárias do Bife vieram pedir mais informações sobre o meu vinho. Se interessaram sobretudo pela garrafa baby de 187ml e comentaram que, infelizmente, há poucas opções no mercado. Comentamos sobre outras vinícolas brasileiras que possuem garrafas neste formado e tudo indica que em breve o Bife terá novas opções de vinhos em porção individual. A medida perfeita para acompanhar um bom lanche ou uma alternativa conveniente para estes tempos de Lei Seca. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário